Notícias

Moçambique

452 Visualizações | Viva Moçambique

A pérola do ÍndicoConhecido como a pérola do Índico, Moçambique conta com cerca de 2800 km de extensão, sendo banhado pelo Oceano Índico, o que lhe confere um elevado potencial turístico. Tanto ao longo da costa como no interior do país, Moçambique dispõe de uma floresta e fauna bravia típicas de zonas tropicais, assim como lagos, rios e lagoas propícias a actividades de pesca e desportos aquáticos.Moçambique tem uma população estimada em 21 milhões de habitantes distribuídas numa superfície de 799 380 Km2, compostas por várias etnias, entre elas: macuas, tsongas, malauis e chonas.Quando Vasco da Gama chegou a Moçambique, em 1498, o navegador português deslumbrou-se pelo encanto das pessoas, pela simpatia do povo que sabe bem receber, pela terra índica, cheia de vida e de belezas escondidas na sua natureza feita de praias sem fim. Por aí em diante, o país ficou conhecido como a “Terra da Boa Gente”, segundo elogios do navegador português.O paraíso do Índico é um dos novos santuários do mundo, que tem investindo na recuperação da vida selvagem, com a sua variedade de reservas naturais, além de estar a apostar fortemente no turismo de qualidade, onde se desenvolve uma consciência ambiental cada vez maior. As paradisíacas ilhas de Cabo Delgado à ilha de Moçambique conciliam uma cultura milenar e patrimonial; as surpresas da Reserva Natural do Arquipélago de Bazaruto à dádiva de Inhambane, ponto de passagem obrigatória das baleias em migração; a praia do Xai-Xai abre o apetite com as deliciosas ostras; à Ponta de Ouro, um dos destinos favoritos aos amantes do mergulho e o arquipélago das Quirimbas onde as estâncias são de belíssima qualidade.Moçambique é um destino turístico de referência mundial. O país desenvolveu empreendimentos de luxo, onde pode albergar todo tipo de visitantes, desde os que selecionam com muito rigor o local onde pretendem ir até aos aventureiros, onde podem encontrar sossego, tranquilidade e contacto com a natureza. O turismo nacional cresceu e tem recebido elogios das maiores e melhores revistas. A biodiversidade local é repleta de vários organismos vivos, desde a flora, a fauna, os fungos macroscópicos e microrganismos. Hoje há organizações no país que trabalham na conservação das espécies ameaçadas e em vias de extinção. Neste contexto, em Vilanculos e Inhassoro existe a protecção e conservação dos dugongos e tartarugas marinhas.O potencial económico do turismo, resultado das excelentes condições climáticas, com praias magníficas, ilhas paradisíacas, assim como a grande variedade de flora e fauna, veio criar as condições para tornar Moçambique num dos destinos turísticos mais atractivos de Africa.O país deixou de ter imagem de guerra, fome e carência. Passou a ser um local alegre, um lugar de referência internacional. Nas cidades, tudo parece familiar com a sua arquitectura que cruza histórias e culturas diversas, sente-se o pulsar da vida quotidiana, desde o burburinho dos seus bazares ao exotismo do artesanato aos museus, bares e restaurantes.As pessoas quando visitam a cidade de Maputo descobrem um paraíso, para além das torres e avenidas, das praças e dos jardins, há as acácias vermelhas, espectáculo de cor que enchem os passeios de florzinhas pequeninas coloridas, tapete de luxo para quem pisa.Os visitantes podem experimentar também o famoso “chapa cem”, transporte de passageiros, apesar de perigoso, será uma oportunidade de perceber, conviver e sentir a real vida do povo.A base da alimentação moçambicana é o milho. A partir deste cereal faz-se uma massa que no sul é chamada de ushwa, no centro e norte chima. Esta massa é acompanhada por molhos de vegetais, tais como a cacana e a mboa, e também por mariscos, principalmente o camarão. O peixe seco também é muito usado.A província mais rica na gastronomia é a Zambézia no centro do país. A cozinha zambeziana é à base do coco, tendo como prato principal a Galinha à Zambeziana. A galinha zambeziana grelhado com leite de coco é uma iguaria esplêndida. Moçambique é muito rico em mariscos. O camarão, a lagosta, o caranguejo, ameijoa e as lulas, são alguns dos mariscos que o país para o ocidente.Os produtos típicos são o piri-piri, gergelim, amendoim, caju, côco e muitos outros. Nas bebidas existem as aguardentes destiladas, como a nipa e a katchulima, entre outras. Também se fazem cervejas de milho, mapira ou palmeira. Existem ainda os sumos de caju e canho.Moçambique é muito rico em cultura. Artistas, poetas, escultores, mestres como Malangatana, Mia Couto, José Craveirinha, Alberto Chissano, Bertina, Noémia de Sousa, Shikhani tornam o leque cultural “pesado”, artistas que vagueiam pelas montras do mundo.O artesanato é uma indústria particularmente familiar que acaba por ter manifestações magníficas, onde as matérias-primas locais são trabalhadas a partir de conhecimentos que gerações transmitem entre si, sem perder a percepção do nacional. As peças artesanais de maior relevo na escultura, são as trabalhadas em pau-preto.O artesanato maconde é uma das principais manifestações artísticas do país, conhecida internacionalmente. Esta arte tem como objectos principais as carantonhas (mapiko) e máscaras guerreiras, e principalmente, a escultura feita em pau-preto ou mpingo. O pau-preto é uma madeira negra obtida da árvore mpingo (Dalbergia Melanoxylon) também conhecida nos meios europeus por "árvore da música". As boquilhas de muitos instrumentos de sopro são feitas em pau-preto.Mulheres Macuas, na província de Nampula, pintam seus rostos com "muciro," um estrato de raiz branca. Eles também fazem cestas de palha, tapetes e outros itens, bem como esculturas de ébano e argila.Para os Chopes da província de Inhambane "Timbila" é o nome de um instrumento de percussão e dança. O instrumento é semelhante a um xilofone. A timbila chope, um instrumento musical tradicional, foi inclusivamente considerada Património Mundial pela UNESCO. Os ritmos moçambicanos constituem uma das mais importantes manifestações da cultura deste país. A música tradicional tem características bantu e também influência árabe, principalmente na zona norte. É normalmente criada para acompanhar cerimónias sociais, principalmente para manifestações de dança.A música comercial vai beber à música tradicional inspiração, mas muitas vezes usando ritmos e tecnologias importadas de outras culturas. A música mais popular é a marrabenta, originária do sul do país. Recentemente o mundo tem assistido o “boom” da economia moçambicana devido a descoberta dos recursos naturais. Em franco crescimento, o país esta a ter uma dinâmica aparentemente imparável. Empresários de todo o mundo acreditam que possa vir a ser uma oportunidade consistente e uma alternativa aos mercados internacionais. ©www.sapo.mz

Fonte: Viva Moçambique

c

©2021 ASGLOBAL / Angola Formativa // Viana - Luanda - Angola | Webdesign AngolaBYDAS

Voltar ao Inicio

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas

ciências

moçambique

angola

doutoramento

licenciatura

mestrado

universidade

luanda

país

licenciaturas